MNP

Notícias

12/04/2017
Fonte: Portal do Agronegócio

Canola aparece como opção vantajosa de cultura de inverno no sul do país

Com o mercado estável e os bons rendimentos da última safra, a canola é uma das apostas de cultivo de inverno de muitos agricultores do sul do Brasil. Além dos benefícios de rentabilidade, a oleaginosa desperta o interesse por ser uma opção vantajosa e estratégica de rotação de cultura, inclusive da soja e milho. Ao todo, serão cultivados cerca de 40 mil hectares em todo Brasil, com a maior produção concentrada no Rio Grande do Sul, com cerca de 30 mil hectares. 

O engenheiro agrônomo Willy Schnepper Junior, proprietário da empresa Presença Agrícola que atua no centro sul do estado do Paraná, conta que a produção brasileira é absorvida pelo mercado interno para fabricação de óleo para uso culinário. “A canola possui um grande potencial de produção e é um produto que merece ser mais bem explorado no país. É um cultivo que possui um baixo custo no controle de pragas e doenças”, explica o agrônomo.

O sistema de plantio adotado por alguns produtores paranaenses nesta safra mudou. Muitos estão aderindo à fertilização fluida via sulco de plantio, substituindo parte dos adubos granulados por combinações de alta tecnologia de fertilizantes fluidos compostos por nitrogênio, fósforo e potássio. “Além de facilitar o manejo, esse sistema favorece o desenvolvimento radicular das plantas e promove um arranque muito mais uniforme e vigoroso. As expectativas são muito boas em relação a essa tecnologia”, diz o agrônomo.

Willy explica ainda que a tecnologia de fertilização fluida foi desenvolvida pela Nutriceler, e já possui resultados consolidados em outros cultivos como o da soja, milho, amendoim e até mesmo em cultivo de hortaliças. “A forma de aplicação, muito mais prática que a convencional, e a disponibilidade dos nutrientes nas formulações dos fertilizantes fluidos, influenciam muito no resultado final. Transformam o manejo em uma operação mais prática com resultados excelentes”, afirma.

Otimista, Willy acredita que a tecnologia Nutriceler pode contribuir para o crescimento do cultivo da canola e trazer maior rentabilidade para o agricultor. “A canola tem potencial de se transformar na principal cultura de inverno no Paraná. Acompanhando as áreas de cultivo em safras passadas, já conseguimos ultrapassar uma produtividade de 5 mil kg/ha. Também observamos ganhos expressivos no sistema rotacional com a canola, favorecendo a produção em todas as culturas subsequentes”, destaca o agrônomo. Willy ressalta também que a oleaginosa pode auxiliar no combate ao Capim Amargoso, por sua ação alopática para outras espécies.

              
Outras notícias
18/01/2018 - Rebanho bovino do Mato Grosso do Sul cresce 2,8% em 2017
18/01/2018 - Produtores estão otimistas com a chegada da colheita
16/01/2018 - Produtor rural é eleito presidente do Conseleite MS
16/01/2018 - Produtores produzem adubos para combater pragas
16/01/2018 - Produtores de soja aumentam a colheita em até 18%
16/01/2018 - Showtec 2018: Senar/MS leva inovação à feira com a Vitrine Hortifrúti
16/01/2018 - Mercado de bovinos para reposição ganhando ritmo
16/01/2018 - Milho e farelo de soja ajudam balança em superávit de US$ 1,4 bilhão
15/01/2018 - Em Maracaju 150 jovens vão debater liderança e sucessão no agronegócio
15/01/2018 - Brasil quer dobrar a produção de frutas em dois anos
Mais Notícias
 

Endereço:
Rua Raul Pires Barbosa, 116
Campo Grande/MS

Telefones:
(67) 3341-1444

E-mail:
contato@mnp.org.br