MNP

Notícias

04/05/2017
Fonte: Scot Consultoria

Quedas nas cotações do boi gordo não diminuíram o poder de compra do recriador e do invernista

Acompanhando o movimento baixista de 2016, as cotações no mercado de reposição no primeiro quadrimestre de 2017 caíram significativamente.

 

Em média a cotação de todas as categorias de reposição analisadas pela Scot Consultoria no estado de São Paulo caíram 14,7% em relação ao mesmo período do ano anterior, em valores nominais.

 

Este comportamento foi diferente da conjuntura observada no período compreendido entre 2013 e 2015, marcado pelas consecutivas valorizações para a categoria.

 

A figura 1 mostra a evolução dos preços das categorias de reposição no primeiro quadrimestre de 2017 em São Paulo.

 

Figura 1.
Preços nominais dos bovinos de reposição em Araçatuba-SP, em R$/cabeça, a prazo.
Fonte: Scot Consultoria – www.scotconsultoria.com.br

 

Todas as categorias analisadas tiveram desvalorizações sucessivas.

 

A demanda enfraquecida ocasionada pela falta de confiança no mercado do boi gordo é um dos fatores que explica esse comportamento do mercado. Os últimos acontecimentos, como a Operação Carne Fraca, e o retorno de tributos como o Funrural e o ICMS no varejo de carne em São Paulo, aumentaram as incertezas.

 

Além disso, há o gradativo aumento de oferta de bovinos terminados, depois da retenção de fêmeas dos últimos anos. Isso gera pressão negativa sobre as cotações, incrementada pela situação econômica vigente.

 

Considerando valores nominais, em doze meses, a arroba do boi gordo na praça de Araçatuba-SP caiu 12,6%.

 

Assim, 2017 apresenta-se como um ano de alerta ao pecuarista. Os negócios precisam ser rigorosamente ajustados às condições do mercado, incluindo uma visão conservadora de médio prazo.

 

Figura 2.
Quantidade de boi magros (12@) comprados com a venda de um boi gordo de 16,5@ na praça em Araçatuba-SP.
Fonte: Scot Consultoria – www.scotconsultoria.com.br

 

A relação de troca melhorou para o invernista no primeiro trimestre de 2017 em relação ao ano passado. Em janeiro de 2016 era possível adquirir, aproximadamente, 1,23 boi magro de 12@ com a venda de um boi gordo de 16,5@ na praça de Araçatuba-SP. No mesmo período de 2017, a relação de troca alcançou quase 1,30 boi magro, o que significa melhora de 5% na relação de troca.

 

Entretanto percebe-se que, com as atuais quedas na cotação da arroba do boi gordo, a relação de troca está praticamente nos mesmos patamares observados no mesmo momento do ano passado.

 

De qualquer forma, a expectativa é de uma relação de troca em média, favorável em 2017, comparando com os anos anteriores, quando os preços da reposição atingiram o pico dos últimos vinte anos. Bom para o recriador e para o invernista.

              
Outras notícias
23/06/2017 - REPGEN 2017 é focado em reprodução e genômica
23/06/2017 - Os chineses vem aí, crise atrai investimentos no agro
23/06/2017 - Embargo dos EUA atinge confiança na carne brasileira
23/06/2017 - Avança colheita de milho segunda safra
23/06/2017 - Frigoríficos compram em ritmo lento e boi fica estável na maioria das regiões
22/06/2017 - Reprodução e Genômica é tema de evento em Campo Grande
22/06/2017 - Chile quer elevar venda de salmão ao Brasil para 100 mil t em dois anos
22/06/2017 - Governo espera que redução da dose de vacina da aftosa evite reação do gado
22/06/2017 - Primeira faculdade de flores do Brasil abre inscrições para vestibular
22/06/2017 - Tentativas de compra abaixo da referência são comuns no mercado do boi gordo
Mais Notícias
 

Endereço:
Rua Raul Pires Barbosa, 116
Campo Grande/MS

Telefones:
(67) 3341-1444

E-mail:
contato@mnp.org.br