MNP

Notícias

27/07/2017
Fonte: Globo Rural

Maggi empossa novos diretores executivos da Embrapa

O ministro disse que “a pesquisa não tem recursos para investimentos hoje, mas tem inteligência e capacidade para programar o futuro”

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, comandou nesta quarta-feira (26) a cerimônia de posse dos pesquisares que serão os novos diretores-executivos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa): Lúcia Gatto (Administração e Finanças), Celso Luiz Moretti (Pesquisa e Desenvolvimento) e Cleber Oliveira Soares (Transferência de Tecnologia). “Os novos diretores-executivos assumem seus cargos com o compromisso de continuar a fazer da Embrapa uma instituição respeitada e importante no futuro, como foi no passado e nos dias de hoje”, disse Maggi.

Os diretores foram nomeados pelo presidente da República no último dia 19, conforme publicação no Diário Oficial da União (DOU), após uma seleção feita com base na Lei das Estatais e conduzida pelo Conselho de Administração da Embrapa (Consad), que elaborou lista tríplice a partir de documentos enviados por 142 inscritos.

De acordo com o presidente da Embrapa, Maurício Lopes, “o processo de transição foi feito com muito cuidado e profissionalismo, com base apenas na competência e na trajetória profissional de cada um dos candidatos”.

Na cerimônia, Maggi deu um recado aos novos diretores-executivos: a pesquisa brasileira não tem recursos para investimentos hoje, “mas temos inteligência e capacidade para programar nosso futuro”. E continuou: “não podemos sonhar grandes transformações, mas podemos planejar o desenvolvimento da agricultura e a segurança do agricultor”.

Lopes, por sua vez, disse que o momento de mudança gerencial é importante para todas as organizações, mas especialmente para uma instituição de ciência e tecnologia. “É uma transição que não deixa de ser um aumento da vibração para novos ciclos evolutivos da pesquisa e da agricultura brasileira”, afirmou o presidente.

Segundo ele, uma instituição de ciência precisa se reinventar o tempo todo para acompanhar os novos tempos, as novas demandas da sociedade. Por isso, Lopes pediu apoio ao ministro e aos parlamentares para que o Brasil continue a investir em pesquisa pública, uma vez que o País pode, no futuro, alcançar a posição de uma nação poderosa e influente. “Para isso, o caminho a ser trilhado passa pelo cumprimento da nobre missão de prover alimentos para sua população e para o mundo”, disse.

              
Outras notícias
23/10/2017 - Agricultura de Precisão: Senar/MS lança curso para uso de drones no campo
23/10/2017 - Área semeada de soja em MS ultrapassa 814 mil h
23/10/2017 - Com apoio da Famasul, sai acordo para retomada das atividades da JBS em MS
20/10/2017 - CAMPO GRANDE RECEBE 6ª ENCONTRO DE GESTORES DO AGRONEGÓCIO
20/10/2017 - CMN autoriza ajustes no Manual de Crédito Rural
20/10/2017 - Leite: Agricultura enviará missão ao Uruguai na segunda-feira
20/10/2017 - Brasil sedia reunião internacional sobre EPI na agricultura
19/10/2017 - Famasul pede redução de alíquota de ICMS para saída de gado vivo do MS
19/10/2017 - Valor da produção agropecuária em 2017 é de R$ 535,42 bilhões
19/10/2017 - Famasul se reúne com Assembleia Legislativa para discutir os impactos da paralisação do JBS
Mais Notícias
 

Endereço:
Rua Raul Pires Barbosa, 116
Campo Grande/MS

Telefones:
(67) 3341-1444

E-mail:
contato@mnp.org.br